Uma plataforma única para a divulgação da sua empresa!

Saiba como >>

Director José Alberto Soares

Assessora de Direcção
Helena Mourão

Redacção Andreia Montes
Andreia Pereira
Bruno Miguel Dias
David Carvalho
Paula Pereira
Sara Oliveira
Sara Pelicano
Sílvia Malheiro
Susana Catarino Mendes

Fotografia Ricardo Gaudêncio (Editor)
Gonçalo Fabião
Jorge Correia Luís
José Madureira

Agenda

Director de Produção
João Carvalho

Director de Produção Gráfica José Manuel Soares

Director Comercial Miguel Ingenerf Afonso

Publicidade Carla Gonçalves

Directora de Marketing Ana Branquinho

Relações Públicas Catarina Moreira

Director de Multimédia
Luís Soares


Saúde Pública<sup>®</sup> 95 / Janeiro de 2011 Edições Especiais Saúde Pública<sup>®</sup> 5 / Dezembro de 2010
Mundo Médico<sup>®</sup> 73 / Novembro de 2010 Edições especiais Mundo Médico<sup>®</sup> 140 / Janeiro de 2011
Mundo Farmacêutico<sup>®</sup> 49 / Novembro de 2010 Informação SIDA<sup>®</sup> 83 / Novembro de 2010
HematOncologia<sup>®</sup> 11 / Outubro de 2010 Jornal Pré-Congresso 7 / Março de 2010
Jornal do Congresso 118 / Janeiro de 2011 Jornal Diário do Congresso 62 / Dezembro de 2010
Saúde em Dia<sup>®</sup> 10 / Maio de 2010 <i>Outros Projectos</i> 10 / Maio de 2010
 


Artigo de Saúde Pública®

Nº 47 / Abril de 2006






04 Dia Nacional do Doente com Acidente Vascular Cerebral – Prof. Doutor Victor Oliveira
Prof. Doutor Víctor Oliveira
Vice-presidente da Sociedade
Portuguesa de AVC
Professor de Neurologia da Faculdade
de Medicina de Lisboa
[email protected]


31 de Março: Dia Nacional do Doente com Acidente Vascular Cerebral (AVC). Esta data foi estabelecida em Diário da República, II Série n.º 23 910/2003, com vista a chamar a atenção da população para a realidade do AVC em Portugal e sensibilizar toda a sociedade para as medidas que se podem e devem tomar para o evitar.

A Sociedade Portuguesa do Acidente Vas­cular Cerebral (SPAVC), que é uma sociedade científica constituída por profissionais de saúde dedicados especialmente aos problemas relacionados com o AVC, tomou a iniciativa de promover acções que chegassem ao maior número possível de pessoas.

No dia 31 de Março de 2004 comemorou-se, pela primeira vez, o «Dia Nacional do Doente com AVC». Nessa data foi realizada uma sessão pública no Parque de Saúde de Lisboa (Hospital de Júlio de Matos) e que constou de um evento virado para a comunicação social, o qual foi presidido pelo então director-geral e alto-comissário da Saúde, Prof. Doutor José Pereira Miguel.

No ano seguinte (2005), a iniciativa esteve a cargo da SPAVC, entretanto criada e herdeira da tradição do Grupo de Estudos de Doenças Vasculares Cerebrais da Sociedade Portuguesa de Neurologia.

Fez-se, então, a primeira acção junto da população que constou de um rastreio de factores de risco para AVC e de uma sessão científica para profissionais de saúde, realizadas no Porto, no Estádio do Dragão, tendo tido grande afluência por parte da população local.

Este ano a SPAVC teve a preocupação de descentralizar a iniciativa, pelo que se conseguiu a realização de acções em Braga, Covilhã/Fundão, Lisboa, Macedo de Cavaleiros, Ponte de Lima, Porto e Santarém, as quais tiveram lugar em diversos locais públicos, consoante os recursos locais.

As acções tiveram um objectivo comum: sensibilizar e esclarecer as populações para a realidade do AVC, como primeira causa de morte e incapacidade permanentes em Portugal. Tentou-se passar a mensagem de que o AVC se pode evitar em muitos casos e que, se este surgir, é necessário recorrer de imediato ao hospital, pois existem tratamentos que só são eficazes se aplicados nas primeiras horas.

O papel do Médico de Família foi também salientado, pois é fulcral no acompanhamento da saúde dos cidadãos e em especial neste caso, ao identificar e tratar os factores de risco vasculares, ou seja, as situações que facilitam a ocorrência do AVC. Tal só se consegue se as pessoas aderirem às suas recomendações e aos tratamentos prescritos.

Na generalidade das localidades, o programa estabelecido incluiu sessões de esclarecimento com curtas palestras e períodos de perguntas e respostas. A adesão da população foi muito gratificante em todos os locais e preparam-se já para o próximo ano, iniciativas mais alargadas de modo a envolver todo o território.

O combate ao AVC é uma tarefa de todos e, por isso, não será demasiado frisar a necessidade de ensino da população, do envolvimento dos diversos profissionais de Saúde e também das autarquias, meios de comunicação social e outras estruturas da sociedade portuguesa.

É necessário substituir a ideia antiga (e que hoje é errada) de que perante uma «trombose» nada há a fazer, pela certeza de que muitos AVC podem ser evitados, desde que haja uma adesão às indicações do Médico de Família e que sempre que se suspeite de um AVC se recorra de emergência ao hospital, de preferência chamando o 112 e sem perda de tempo.


ver comentários (0)

Deixe o seu comentário sobre este artigo

Este é um espaço que visa promover a partilha de ideias, opiniões e experiêncas sobre os temas abordados nos nossos artigos. Participe! Outros poderão beneficiar do seu comentário.
Não é aqui facultado qualquer tipo de aconselhamento médico!