Director
José Alberto Soares Editora Executiva
Sofia Filipe Redacção Rui Miguel Falé
Bruno Dias
Manuel Moreira
Paula Pereira
Colaboradores
David Carvalho
F. Castro
Director Comercial
Miguel Ingenerf Afonso Assistente Comercial
Sandra Morais Directora de Marketing
Ana Branquinho Publicidade
Patrícia Branco
Director de Produção
João Carvalho Director de Produção Gráfica
José Manuel Soares Director de Multimédia
Luís Soares Ilustração
Joa Copy Desk
Sérgio Baptista Fotografia
Ricardo Gaudêncio (Editor)
Jorge Correia Luís
José Madureira
Revisão Ciêntifica
JAS Farma®

Apoios


Medicina e Saúde<sup>®</sup> 132 / Outubro de 2008 Saúde Pública<sup>®</sup> 73 / Outubro de 2008
Mundo Médico<sup>®</sup> 59 / Julho de 2008 Edições Especiais Saúde Pública<sup>®</sup> 1 / Maio de 2007
Edições especiais Mundo Médico<sup>®</sup> 95 / Junho de 2008 Informação SIDA<sup>®</sup> 70 / Setembro de 2008
Mundo Farmacêutico<sup>®</sup> 36 / Setembro de 2008 Jornal Pré-Congresso 1 / Setembro de 2008
Jornal do Congresso 51 / Outubro de 2008 Jornal Diário do Congresso 35 / Outubro de 2008
Saúde em Dia<sup>®</sup> 2 / Abril de 2007 HematOncologia<sup>®</sup> 3 / Outubro de 2008
 

Artigo de Medicina e Saúde®

Nº 89 / Março de 2005






20 Qualidade da Gestão na Saúde em Portugal
Dr. Luís Pisco, director do Instituto da Qualidade em Saúde: «Gerir pela qualidade é hoje um imperativo»


«Em qualquer sociedade moderna e desenvolvida, gerir pela qualidade é, hoje, um imperativo em todas as áreas de actividade, e a saúde não é excepção», garantiu o Dr. Luís Pisco, director do IQS-Instituto da Qualidade em Saúde, ao dirigir-se aos participantes de um simpósio promovido pelos laboratórios Jaba e destinado a médicos de família.

Aquele responsável, que presidia à reunião e que também é o dirigente máximo da APMCG-Associação Portuguesa de Médicos de Clínica Geral, sublinhou que, de facto, nos Serviços de Saúde, os sistemas de garantia da qualidade têm vindo a desenvolver-se, com o objectivo de garantir um atendimento de qualidade e eficiente.

«O cenário da prestação de Cuidados de Saúde está em constante evolução, em constante mudança, surgindo continuamente novos conceitos, novas estratégias e novas opções», afirmou ainda.

Na perspectiva de Luís Pisco, «num período de aumento exponencial das expectativas e das exigências dos cidadãos, com o consequente aumento da responsabilidade dos profissionais de saúde, quando todas as atenções se centram nos resultados e no uso adequado dos recursos disponíveis, as metodologias de melhoria contínua da qualidade devem ser vistas como uma ferramenta à disposição dos profissionais para mostrar o seu valor e assegurar um activo envolvimento nas tomadas de decisão».

Desta forma, a qualidade não é encarada somente como uma metodologia de gestão, nem um problema puramente técnico e económico. É, também, vista como uma questão ética e moral.

O termo «qualidade» tornou-se numa palavra que, quando utilizada e dependendo do observador, acarreta melhor desempenho profissional, maior respeito pela perspectiva do doente e, sobretudo, a utilização optimizada dos recursos disponíveis.

Mas, de acordo com Luís Pisco, «a qualidade é, fundamentalmente, uma ferramenta que a gestão utiliza para melhorar o seu desempenho. A gestão não é feita para benefício das instituições, mas sim para um melhor atendimento dos que as utilizam, e para uma melhoria permanente voltada para o atendimento das necessidades, expectativas e satisfação da população que recorre aos serviços de saúde».

É objectivo dos políticos, gestores e profissionais de saúde melhorar a qualidade dos Cuidados de Saúde prestados aos cidadãos. Porém, tal desafio é conseguido através da transformação e da inovação.

Ora, como afirmou Luís Pisco, «a mudança e a inovação pressupõem uma gestão empreendedora, criativa, dinâmica, que aproveite as oportunidades.

É mais fácil continuar e repetir do que modificar e inovar», afirmou Luís Pisco, salientando o contributo da iniciativa dos Laboratórios Jaba de colocar médicos de família e especialistas em Gestão e em Qualidade a reflectir sobre melhorias de Organização e Gestão, sobre processos de Certificação e Acreditação, e sobre os problemas associados a tentar melhorar a Qualidade.

«Existe uma grande diversidade de conceitos e de perspectivas sobre o que é qualidade em saúde, por vezes, divergentes e nalguns casos mesmo antagónicos», acrescentou o director do Instituto da Qualidade em Saúde, concluindo:
«Esta diversidade torna as questões relacionadas com a qualidade na prestação de cuidados de saúde difíceis e complexas de abordar, mas tornam também as discussões sobre este assunto mais aliciantes. Melhorar a qualidade, a acessibilidade e a eficiência dos Serviços de Saúde em Portugal são, pois, desafios que só com uma Gestão e uma Melhoria Contínua da Qualidade se conseguirão vencer.»

Qualidade e Gestão na Saúde em Portugal

O Grupo Jaba promoveu a realização de três simpósios subordinados ao tema «Qualidade e Gestão na Saúde em Portugal». Os eventos tiveram lugar no Hotel da Quinta da Marinha, em Cascais, contaram com a chancela científica da Ordem dos Médicos e da Associação Portuguesa de Médicos de Clínica Geral e foram realizados em parceria com a Universidade Católica Portuguesa, com o Instituto da Qualidade em Saúde e com a SGS, empresa que atribuiu a Certificação de Qualidade ao Grupo Jaba.

Destinados prioritariamente a médicos de família, os simpósios foram divididos em duas partes: a primeira, de carácter teórico, incluiu palestras sobre temas como a «Certificação em Saúde» ou «Desafios da Gestão para Médicos» e a segunda, mais prática, abrangeu uma visita à Unidade Fabril do laboratório supracitado.

Com esta iniciativa, a Jaba procurou contribuir de forma positiva para a actualização e formação contínua dos profissionais de saúde, assim como reforçar a sua parceria com os médicos de família.
ver comentários (0)

Deixe o seu comentário sobre este artigo